comida avião
Comida de Avião – alimentos que você consome nas nuvens
6 julho, 2017
Cruzeiros. As verdadeiras cidades flutuantes
4 setembro, 2017

Bagagem. O que você pode e não pode levar em suas viagens

Como muitos já sabem, existem algumas regras que regem o transporte de bagagens em viagens de avião. Objetos cortantes e/ou perfurantes são proibidos, líquidos têm limitações, bens de alto valor precisam ser declarados e medicamentos necessitam de prescrição médica.

São diversos detalhes que não podem e nem devem passar despercebidos para que você evite qualquer tipo de inconveniente envolvendo a sua bagagem.

Exatamente por isso, reunimos neste post todas as informações que você precisa saber sobre o transporte de bagagens de mão em voos nacionais e internacionais.

IMPORTANTE: antes de viajar, sempre consulte a sua companhia aérea para saber sobre as regras especificas de bagagem.

1. Franquias, taxas e dimensões permitidas

Até meados de 2017, em voos domésticos, todos os passageiros podiam despachar uma mala de até 23kg e levar uma bagagem de mão de até 5kg no avião, enquanto nos voos internacionais esses limites eram de 32kg para mala despachada e de 8 a 10kg para a bagagem de mão. Não existia também nenhum valor extra cobrado por isso.

Atualmente, isso mudou. Agora, fica a critério das próprias cias aéreas cobrar ou não pela franquia de bagagem. O valor médio praticado gira em torno de R$30 a R$80, dependendo da empresa aérea e da quantidade de malas a serem despachadas. Em todas as companhias, no entanto, o limite de peso da mala despachada é o mesmo: 23kg.

As dimensões permitidas para as bagagens de mão também variam de acordo com a companhia. Por isso, é imprescindível conferir essa informação antes de embarcar com a empresa que você adquiriu sua passagem aérea. Em todas as cias, o limite de peso da bagagem de mão também é o mesmo: 10kg.

2. Bagagem de mão – O que pode e o que não pode

O que pode na bagagem de mão:

• Cosméticos sólidos, como desodorante e hidratante em barra, batom, protetor labial etc.;
• Mamadeira e alimento infantil, mas apenas em quantidade suficiente para a duração do voo;
• Remédios sempre acompanhados de prescrição médica em nome do passageiro;
• Itens pessoais, como documentos e pequenos acessórios, como óculos, por exemplo;
• Aparelhos eletrônicos de uso pessoal (celular, notebook, tablet etc.).

O que pode não pode na bagagem de mão (restrições):

• Objetos cortantes e/ou perfurantes, como tesouras, canivetes e facas, que só podem ser transportados na mala despachada;
• Líquidos só podem ser transportados na bagagem de mão em embalagens individuais de até 100ml;
• Géis e cremes só podem ser transportados em embalagens transparentes de até um litro e com dimensão máxima de 20cm x 20cm.

3. Produtos de Free Shop

Perfumes, bebidas e outros líquidos adquiridos em free shops precisam necessariamente de nota fiscal e devem ser embalados com sacola selada pelo estabelecimento. Consulte antecipadamente a empresa aérea para casos de voos domésticos, cujo embarque seja em área internacional ou quando há conexões em outros países.

4. Bagagem especial

As condições para transporte de bagagem especial, como equipamentos esportivos ou musicais, por exemplo, devem ser verificadas com antecedência junto à empresa aérea. Isso é fundamental, pois as bagagens que não se enquadrarem nas regras estabelecidas pela empresa poderão ser recusadas ou submetidas a contrato de transporte de carga.

Alguns itens considerados bagagem especial:

• Vara de pescar
• Prancha de surfe
• Bicicleta
• Ski ou snowboard
• Cadeira de rodas
• Instrumentos musicais
• Grandes aparelhos eletrônicos

5. Extravio, violação ou furto de bagagem – Como proceder nesses casos

Em caso de extravio:

As empresas aéreas têm por obrigação devolver a bagagem nas mesmas condições em que foi despachada. No entanto, em caso de extravio, é necessário fazer um “protesto”, que nada mais é do que informar à cia aérea sobre o extravio da bagagem.

Nesse caso, em voos domésticos, a empresa tem até 7 dias para localizar e devolver a bagagem. Em voos internacionais, esse prazo é de 21 dias.
Se a bagagem não for encontrada, a cia aérea indenizará o passageiro em até 7 dias, no máximo.

Outra hipótese é se a bagagem for extraviada e o passageiro estiver fora do seu domicílio. Nessa situação, a cia aérea deverá ressarcir o passageiro por gastos pessoais por todo o período em que ele estiver sem a sua bagagem. Cada companhia, porém, tem suas próprias regras e limites de ressarcimento.

Em caso de violação:

Também é necessário fazer um “protesto” junto à cia aérea, no máximo, até 7 dias após a data do desembarque e recebimento da bagagem. Se comprovada a violação, a empresa deverá reparar o dano da bagagem ou substituí-la por outra equivalente e até mesmo pagar uma indenização.

Em caso de furto:

Procure a empresa aérea e comunique o fato por escrito. A companhia é responsável pela bagagem desde o momento em que ela for despachada até o seu recebimento pelo passageiro. Ou seja, se isso ocorrer, registre um boletim de ocorrência na Polícia ou autoridade competente para investigar o caso.